Uma semana a pedalar pelos Açores

Hoje fez uma semana que estou a pedalar pelos Açores e estou muito feliz  por muitos motivos.

É uma delícia poder passar por tantos lugares maravilhosos, ver paisagens incríveis, sentir o cheiro doce das flores na estrada e contemplar o silêncio de lugares que transmitem uma paz que só mesmo passando por eles se pode entender.

Na ilha das Flores, senti as gotinhas das cascatas e ouvi a água a verter constantemente no meio da vegetação, no Corvo não consegui ir (com muita pena) mas contemplei de longe a sua “pequenez” e estive lá com o coração. Já lá estive uma vez e quero voltar com a minha bicicleta, quem sabe no próximo PedalAçores? Desta vez não deu.

A ilha do Faial foi algo incrível e senti no mesmo dia o frescor da chuva e o calor árido sobre as cinzas dos Capelinhos numa paisagem digna de filmes de ficção. Fiquei impressionado com a grandiosidade daquela montanha gigantesca que se elevou e que acrescentou à ilha mais algumas centenas de metros quadrados. Foi no Faial que fizemos os nossos primeiros 100km.

Se tem alguma coisa que goste mais do que andar de bicicletas, é de fazer caminhadas e na ilha do Pico consegui unir o útil ao agradável e realizei o sonho de ir do nível do mar até ao cimo da montanha no mesmo dia. Foram 36km sempre a subir do zero, no cais de São Roque até os 2351 metros no cimo da montanha do Pico, o ponto mais alto de Portugal, aqui nos Açores.

tudo

Hoje o dia foi para descansar e amanhã sigo para São Jorge para contemplar as suas magnificas Fajãs e procurar por mais pessoas que andam por aí a pedalar pelos Açores.

Anúncios

A Montanha do Pico

20130809744_FotorHoje fui do 0 aos 2351 m de altitude.

Foi um dia duro mas fiquei feliz por ter conseguido subir à Montanha do Pico, embora sem a bicicleta, uma vez que não são permitidas. Mas o pessoal da Casa da Montanha da Ilha do Pico, arranjou um lugarzinho para  a bicicleta.

Enquanto subia, a música de Roy Orbison não me saia da cabeça “anything you want, you got it”, e foi isso que me foi dando força para continuar.

Ao chegar ao topo, foi fantástica a sensação de estar acima das nuvens, parecia-me estar a voar!

E assim chegámos aos 330 km da nossa aventura.