Qual a medida do respeito?

Desde os tempos mais remotos que o homem busca formas mais precisas para medir tudo que está a sua volta. Do astrónomo ao jardineiro, as unidades de medida e a sua precisão afetam o nosso dia-a-dia e podemos dizer que praticamente necessitamos delas para viver.

Apesar de reconhecer a sua importância, não é todas as vezes que olho para o relógio e penso que naquele segundo que passou ocorreram 9.192.631.770 períodos da radiação correspondente à transição entre dois níveis hiperfinos do estado fundamental do átomo de Césio 133.

Também não é fácil olhar para uma estrela e imaginar a magnitude da distância que nos separa da nossa galáxia vizinha.

Entretando, no que diz respeito às distâncias, nos Açores as coisas são um pouco diferentes. O que é logo ali para quem vive no continente torna-se “do outro lado da ilha” para quem vive por cá. De fato as distâncias aqui têm outra dimensão, se é que isso é possível. Talvez a física quântica explique.

Como muitos já devem saber, o Código da Estrada foi alterado em Portugal e no começo de 2014 entraram em vigor novas regras que discriminam positivamente os ciclistas e peões e, a exemplo de outros países da Europa, foi introduzido o princípio do Utilizador Vulnerável.

– O princípio de utilizador vulnerável abarca velocípedes e peões, dando especial ênfase às crianças, idosos, grávidas, pessoas com mobilidade reduzida ou pessoas com deficiência.
[Lei n.º 72/2013 de 3 de setembro – Art.º 1.º, Art.º 3.º, Art.º 11.º e Art.º 18.º](1)

– Na ultrapassagem, os condutores (incluindo os ciclistas) devem ocupar a via de trânsito adjacente, abrandar especialmente a velocidade, e manter pelo menos 1,5 metros de distância lateral de segurança da bicicleta ultrapassada. (Art.º 18.º e Art.º 38.º)

umemeio-300x225Não é preciso ser muito inteligente para se entender que quando ocorre a colisão entre um carro (ou um pesado) e um ciclista (ou um peão) o mais prejudicado é o ciclista/peão por ser mais frágil, por ter uma menor massa, por não ser feito de metal, etc… não é uma física muito complicada.

Felizmente, o Código da Estrada é um só e quer seja aqui nos Açores, quer seja na Madeira, quer seja nas Selvagens ou ainda no continente as regras são as mesmas e um metro e meio é invariavelmente 150 centímetros.

A natureza de algumas estradas nos Açores obriga a atenção redobrada de condutores de veículos e velocípedes. Tanto o número de carros nas estradas quanto o número de bicicletas têm vindo a aumentar mas infelizmente a consciência de muitos condutores não evoluiu tanto quanto estes números.

Alguns “condutores profissionais” nos Açores também deixam muito a desejar e choca-me a forma leviana com que alguns conduzem as suas máquinas de 4 ou mais rodas e que às vezes carregam toneladas.

Se o argumento do peso não servir observe os dados referentes à velocidade no infográfico abaixo:

velocidades

Aos proprietários de empresas fica aqui, também, um apelo: instruam os vossos condutores a serem mais prudentes. Ultrapassagens em lugares indevidos, razias e apitadelas não abonam em nada a favor da imagem das vossas empresas. Eu por exemplo, vou levar algum tempo para voltar a comprar algo da Salsicharia Pavão(4). Tenham em mente que há cada vez mais ciclistas e que estes, além de terem o direito de utilizar a via pública para ir e vir (assim como as vossas carrinhas de entrega, autocarros, etc…), também são potenciais clientes. Mas mais do que isso, são vidas!

Enquanto escrevia este post, fui surpreendido pela notícia da morte de mais um ciclista, desta vez nos Açores(2)… um acontecimento lamentável, que independente das circunstâncias só vem a reforçar a necessidade de haver mais respeito entre ciclistas e condutores.

(1) http://mubi.pt/2014/01/01/ano-novo-codigo-novo/
(2) http://www.rtp.pt/acores/?article=38140&visual=3&layout=10&tm=7
(3) http://codigodaestrada.org/96/a-falacia-da-igualdade
(4) http://www.salsicor.com
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s