Novidade mundial chega à Terceira

hamb_01A população está em alvoroço. É puro extase!

Uma novidade chega à ilha Terceira – Vamos ter um Burger King (1)!

Fundado na década de 50, muito antes dos Açores se tornarem uma região autónoma, o Burger King chega à Ilha Terceira para fazer a felicidade dos Terceirences e alegrar as suas vidas com as suas novidades fantásticas da gastronomia mundial: hamburgueres em vários formatos, batatas fritas, molhos, aros de cebola e muito mais! Tabuleiros coloridos, copos e palhinhas (descartáveis!), embalagens coloridas com desenhos da Disney… tudo vindo diretamente do continente para alegrar a vida dos Açorianos e Açorianas que vivem na ilha Terceira. Era o que nos faltava! Já não é preciso sofrer o desconforto de ter que transportar tais guloseimas via Sata e estarmos sujeitos aos olhares gulosos (e invejosos)  dos demais passageiros.

Chega a ser cômico e ao mesmo tempo triste, o alvoroço e satisfação que tal “equipamento” trouxe à ilha Terceira.

Continuar a ler

Anúncios

Lixo, dinheiro… e mobilidade

Raminho - Ilha Terceira - Açores - PedalAçoresQuando saimos de casa era impossível pensar naquilo que estava por acontecer.

No caminho ainda nos questionamos sobre a utilidade de ir a um debate(4) sobre um assunto que já nos parecia mais do que resolvido: a construção de uma incineradora na ilha Terceira.

Parte integrante de um grande plano regional, a central de valorização de resíduos da ilha Terceira iria receber o lixo de outras ilhas para ser tratado e toda esta logística relacionada com a “mobilidade do lixo” me chamou a atenção. O projecto tem por objetivo o reordenamento do aterro da ilha Terceira e valorização do resíduo de 7 ilhas(1) e está estimado em ±31.000.000 Euros.

Acima de tudo estávamos curiosos, independente da cor política que estava a organizar o debate, queriamos saber mais, conhecer e ententer as justificativas que levaram a TerAmb (empresa pública que vai gerir o projecto) a optar por esta solução.

O debate começou bem. Paulo Monjardino, representante da TerAmb, apresentou dados que até então eram desconhecidos e que nunca antes haviam sido publicados, demonstrando números mais próximos da realidade no que toca a quantidade de resíduos disponíveis para serem eventualmente aproveitados. Todos ficaram surpresos com os “novos” números. Continuar a ler

Tudo é relativo

Porto da Praia da Vitória - Ilha Terceira - Açores - PedalaçoresA notícia sobre o novo “Plano Integrado de Transportes dos Açores” (1) despertou-me para algo que já tinha pensado há tempos mas que ainda não tinha passado para o ‘papel’.

Chegar às ilhas dos Açores numa embarcação é algo tão natural como a existência das próprias ilhas, ou seja, desde o seu descobrimento pelos portugueses, ou antes (2), viajar de barco entre as ilhas faz parte do dia-a-dia da vida de todas as pessoas que vivem no nosso lindo arquipélago dos Açores. Historicamente, andamos a fazer isso há mais de 500 anos (3).

Apesar de não se saber bem ao certo quando é que os Açores foram descobertos, um facto parece ser transversal a todas as datas possíveis: foi pelo mar 🙂

Desde então, toda a história das ilhas foi tocada de certa forma por esta maravilha tecnológica (os barcos) que permitia, com o simples içar de uma vela, transportar pessoas e bens de uma ilha para outra, flutuando sobre as águas azuis do Atlântico. Continuar a ler