O Pedal’Açores em números (P.2)

Pilar - Ponta Delgada - PedalaçoresDepois de terminada a primeira edição do Pedal’Açores ficam aqui os números mais curiosos da nossa grande aventura a passar por paisagens maravilhosas, pessoas interessantes e carregada de momentos de muita reflexão sobre a mobilidade no nosso maravilhoso arquipélago no meio do Atlântico.

Neste momento estamos a compilar informação e em breve prometemos publicar aqui no nosso blog algumas reflexões mais profundas sobre a questão da mobilidade nos Açores.

Como sabem não foi possível ir ao Corvo porque não era garantido poder voltar, havia muitos passageiros na viagem de volta, de maneira que não era garantido espaço para a bicicleta (?!?!) na viagem de regresso. Por isso este ano foram “só” oito ilhas, entretanto, na próxima edição do Pedal’Açores vai ser diferente.

Ficam aqui os números do Pedal’Açores 2013:

8 ilhas;

1.110 quilómetros percorridos de bicicleta;

84 horas e 22 minutos de pedaladas;

12 parques de campismo;

6 casas de amigos para pernoitar e pôr a conversa em dia;

888 milhas náuticas;

24.801 metros de ascenção a pedalar;

31 dias na estrada a pedalar;

1.263 metros de ascenção a caminhar;

11 turistas a conhecer os Açores a pedalar;

10 nacionalidades;

4 barcos diferentes;

4 calços de travões;

1 pneu furado;

2 raios partidos;

1 visita ao Bike Doctor;

2 viagens de camioneta;

3 festivais;

1 mosca engolida;

4 entrevistas;

Muitos pacotinhos de massa instantânea e barrinhas energéticas;

Vários litros d’água;

Centenas de golfinhos;

Dezenas de Pedalaçorian@s de todas as idades;

Muita gente feliz!

Anúncios

O Pedal’Açores em números (p.1)

Cá estou eu no 18º dia da minha aventura e no trajecto da Graciosa para Santa Maria estou a fazer um “pit-stop” em casa. Entre outras coisas também foi tempo para fazer um pequeno balanço e destacar algumas curiosidades nesta jornada pelos Açores a pedalar.

No dia 22 de agosto parto para o Grupo Oriental e depois de percorrer Santa Maria estarei em São Miguel à partir do dia 25 de agosto. Uma vez que estou em casa é quase certo que vou aproveitar amanhã para fazer a volta aqui pela Terceira mas a minha companheira de 2 rodas pede uma manutenção e tudo vai depender do diagnóstico do “doutor” da oficina. Ela foi uma campeã durante estes dias todos e não me deixou na mão comportando-se lindamente, mas está fazendo um “cloc-cloc” estranho e tem que ser diagnosticado.

Também hoje foi dia de entrevista com a RTP Açores e toda a equipa do Pedal’Açores foi dar uma voltinha por Angra do Heroísmo, a nossa cidade património da UNESCO.

Vamos lá aos números:

52 horas e 28 minutos de pedaladas;

629 quilómetros percorridos de bicicleta;

10 parques de campismo;

541 milhas náuticas;

15.483 metros de ascenção a pedalar;

1.263 metros de ascenção a caminhar;

11 turistas a conhecer os Açores a pedalar;

10 nacionalidades;

3 barcos diferentes;

2 calços de travões;

0 pneus furados;

2 entrevistas;

Muitos pacotinhos de massa instantânea e barrinhas energéticas;

Centenas de golfinhos;

Dezenas de ciclistas Açoreanos/as de todas as idades;

Muita gente feliz!

Ainda não acabou e mais surpresas nos aguardam durante as próximas pedaladas.

Ficam aqui algumas boas recordações…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ao longo de S. Jorge em direção ao Topo

circ_sjorge

Cheguei ao Topo!

Os útlimos 2 dias foram duros mas consegui. Passei por paisagens fantásticas, um mundo à parte, isolado… fui ao extremo na bicicleta e cheguei a pensar que não ia conseguir, mas aqui cheguei.

Desde as Velas à Fajã do Sto. Cristo num dia, passando pela Fajã dos Cubres, acampando num terreiro perto da Igreja, com o som do gerador de fundo e olhando para o céu noturno à espera de ver as estrelas cadentes, as Perseiades, juntamente com o casal alemão que conheci na primeira travessia de barco.

No segundo dia, sair das fajãs não foi fácil, uma estrada de terra, extremamente acidentada e ingreme e tendo que me desviar das moto 4 de vez em quando, e passando por estradas cada vez mais isoladas, com uma beleza selvagem.

Também aqui, não existe parque de campismo mas um terreno onde é possivel acampar. Hoje encontro-me sozinho e vou descansar para a viagem de amanhã até à Calheta.

S.Jorge_Collage_2