O Pedal’Açores em números (P.2)

Pilar - Ponta Delgada - PedalaçoresDepois de terminada a primeira edição do Pedal’Açores ficam aqui os números mais curiosos da nossa grande aventura a passar por paisagens maravilhosas, pessoas interessantes e carregada de momentos de muita reflexão sobre a mobilidade no nosso maravilhoso arquipélago no meio do Atlântico.

Neste momento estamos a compilar informação e em breve prometemos publicar aqui no nosso blog algumas reflexões mais profundas sobre a questão da mobilidade nos Açores.

Como sabem não foi possível ir ao Corvo porque não era garantido poder voltar, havia muitos passageiros na viagem de volta, de maneira que não era garantido espaço para a bicicleta (?!?!) na viagem de regresso. Por isso este ano foram “só” oito ilhas, entretanto, na próxima edição do Pedal’Açores vai ser diferente.

Ficam aqui os números do Pedal’Açores 2013:

8 ilhas;

1.110 quilómetros percorridos de bicicleta;

84 horas e 22 minutos de pedaladas;

12 parques de campismo;

6 casas de amigos para pernoitar e pôr a conversa em dia;

888 milhas náuticas;

24.801 metros de ascenção a pedalar;

31 dias na estrada a pedalar;

1.263 metros de ascenção a caminhar;

11 turistas a conhecer os Açores a pedalar;

10 nacionalidades;

4 barcos diferentes;

4 calços de travões;

1 pneu furado;

2 raios partidos;

1 visita ao Bike Doctor;

2 viagens de camioneta;

3 festivais;

1 mosca engolida;

4 entrevistas;

Muitos pacotinhos de massa instantânea e barrinhas energéticas;

Vários litros d’água;

Centenas de golfinhos;

Dezenas de Pedalaçorian@s de todas as idades;

Muita gente feliz!

A Graciosa

circ_graciosa

A viagem para  a Graciosa  foi fantástica, vi centenas de golfinhos ao longo do percurso, nunca me tinha acontecido e fiquei mesmo maravilhado. Chegando ao porto da Vila da Praia , segui para o parque de Campismo da Lagoa onde montei o acampamento. Quando vi o chão de bagacina, fiquei na dúvida se a tenda não iria sofrer rasgões ou se iria conseguir dormir num chão como este mas acabou por correr bem e consegui descansar. Fiz a volta à Graciosa passando em todos os locais mais emblemáticos da ilha, desde Santa Cruz e o ilhéu da Baleia ao Farol da Ponta da Restinga, passando por uma grande festa no Carapacho. Estava um dia de sol e o mar estava de um azul profundo.

Tive um pequeno contratempo com a roda traseira, talvez porque a estrada perto da Serra Branca está um pouco agreste, mas pode ser que se aguente.

Para hoje fica a subida à Caldeira da Graciosa com a sua Furna do Enxofre onde irei ultrapassar os 600 km e espero que corra tudo bem.

Na próxima 2ªfeira sigo caminho para a Terceira onde fico até dia 25, seguindo depois para Sta. Maria.